segunda-feira, agosto 18, 2008

paisagem inédita







O que é uma paisagem inédita?

Algo que antes nunca fora percepcionado? Pedaços de realidade nunca antes processados e perspectivados? Onde encontramos o ineditismo na rotina dos nossos dias?

Será a construção de algo inovador e novo?

Uma paisagem inédita pode ser construída todos os dias, confronta-nos com a sua ambiguidade e obriga-nos a rever sistemas de percepção e representação, coloca-nos perguntas e não responde a nenhuma...vemo-nos inseridos numa situação inesperada sobre a qual é nos dificil enquadrar esta perpectiva.

Ponta do Mato. Seixal.


_clau

3 comentários:

Paisagir disse...

As paisagens inéditas era o que queríamos ver todos os dias, mas a repetição das paisagens é o que está em cada canto. Exemplo disso é o programa polis que transformou as cidades integradas nesse programa numa só cidade, Todas com a mesma paisagem.

Pedro

sebastiao disse...

Muito bom, gosto da ideia de inedito!

As paisagens ineditas, são aquelas visões inesperadas quando passamos para um determinado lugar de dificil entendimento...

eu ate acho que o programa polis é uma boa oportunidade para revitalizar as cidades.Depende das mãos a que for parar.O programa é fruto do nosso tempo e de uma visão partilhada o que o pode tornar repetitivo mas a intenção é boa

sebastiao_

joão antunes disse...

Paisagens inéditas... Só mesmo na "margem Sul"...
Brincadeira, gostei do "post". Há uma mistura de signos nessas imagens que nos remetem ambiguamente para contextos ou até mesmo paisagens diferentes, daquelas cujo o significado habitual do signo por si só nos remeteria. Há assim uma mistura de significados que confundem o nosso sistema de representação da imagem. É por isso que são ambíguas, é por isso que são inéditas? É por isso que são da margem Sul?